Força-tarefa contra aglomeração fecha casa noturna Bahamas e encerra festa em tabacaria de SP

CRISTINA CAMARGO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A casa noturna Bahamas Club, em Moema, zona sul de São Paulo, foi fechada na noite desta quarta-feira (17) pela força-tarefa formada para fiscalizar o cumprimento de restrições previstas na fase emergencial adotada no estado para combater a pandemia do coronavírus. Nesta fase, é permitido o funcionamento apenas dos serviços essenciais. Além disso, a fase emergencial determina um toque de recolher das 20h às 5h. O Bahamas, conhecido como ponto de encontro de prostitutas de luxo na capital, pertence a Oscar Maroni, o magnata do sexo. O deputado federal Alexandre Frota (PSDB), que acompanhou a fiscalização, divulgou vídeo nas redes sociais mostrando a operação. Segundo ele, a força-tarefa recebeu a informação de que uma festa clandestina seria realizada no Bahamas. "Nossa força-tarefa é para coibir essas festas e fazer com que elas não aconteçam em hipótese alguma", disse. "Não é possível festa com três mil mortos por dia. Não é justo". Policiais civis e militares, funcionários do Procon, da Vigilância Sanitária e da prefeitura participaram da fiscalização. No local estavam 54 pessoas entre funcionários e frequentadores. Elas teriam sido levadas para uma delegacia para assinar um termo circunstanciado. Na mesma noite, os fiscais encerraram uma festa realizada em uma tabacaria na Freguesia do Ó, na zona norte da capital. No local, mais de 40 jovens estavam aglomerados e alguns dividiam narguilés. Na madrugada de domingo (14), O atacante Gabigol, do Flamengo, e o funkeiro MC Gui foram detidos em um cassino de luxo no bairro Vila Olímpia, na zona oeste da cidade de São Paulo. Além de a prática de jogos de azar ser proibida no Brasil, os frequentadores foram encontrados desrespeitando as regras sanitárias na véspera do plano emergencial. Gabigol e MC Gui, e os demais frequentadores do cassino assinaram um termo circunstanciado de ocorrência após se comprometerem a comparecer à polícia quando forem requisitados. Eles foram liberados na sequência.