Força-tarefa encerra festa clandestina e coíbe aglomeração em mais de 100 pontos de SP

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O comitê de blitze de São Paulo fechou uma festa clandestina e inibiu mais de 100 pontos de aglomeração desde a noite de sexta-feira (26) em São Paulo. De acordo com o governo estadual, uma balada ilegal com previsão para 250 pessoas foi inspecionada, encerrada, autuada e interditada pela Vigilância Sanitária. A festa clandestina seria ocorria no centro da capital. Nesta semana, o governo divulgou que já foram encerradas mais de 700 festas clandestinas no estado desde 26 de fevereiro. Atualmente, o estado encontra-se na fase emergencial do Plano São Paulo, ao menos até 11 de abril, etapa em que este tipo de evento é proibido, com objetivo de evitar aglomerações e a disseminação do coronavírus, na fase mais crítica no estado. Na noite de sexta e madrugada de sábado (27), a Vigilância Sanitária inspecionou 27 estabelecimentos. Em Pinheiros (zona oeste de SP), um salão de beleza foi autuado e interditado. Na fase emergencial, esse tipo de atividade está proibida. Além disso, uma empresa de segurança no Jabaquara (zona sul) foi autuada, uma vez que foi identificada a presença de várias pessoas sem máscaras. De acordo com o governo, a Polícia Militar flagrou 102 pontos de aglomeração e promoveu 221 dispersões durante a noite de sexta e madrugada deste sábado (27). "Houve 10,5 kg drogas apreendidas e no decorrer das ações cinco pessoas foram multadas por alcoolemia (dirigir sob efeito de álcool), situação que configura risco de acidentes e possível necessidade de atendimento hospitalar, num momento em que a rede de saúde está altamente impactada pela pandemia de COVID-19", diz nota do governo. Desde 12 de março, o governo e a Prefeitura de São Paulo criaram um comitê de blitze, uma força-tarefa com objetivo de reforçar fiscalizações. Fazem parte deste comitê agentes da Guarda Civil Metropolitana e da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária) pela Prefeitura de São Paulo. Por parte do governo estadual, fazem parte a Vigilância Sanitária, Procon e das Polícias Civil e Militar. Segundo dados do comitê, entre 1º de julho de 2020 a 24 de março de 2021, a Vigilância Sanitária Estadual realizou 230.515 inspeções e 5.019 autuações. Festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços podem ser denunciados pelo telefone 0800-771-3541 e também no site www.procon.sp.gov.br ou pelo e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br, do Centro de Vigilância Sanitária.