Forças eritreias deixam duas cidades na região etíope de Tigré, afirmam moradores

Um grande número de soldados eritreus deixou duas cidades na região etíope de Tigré, após apoiar por dois anos o exército etíope no conflito com rebeldes, declararam moradores à AFP.

Segundo depoimentos, as tropas deixaram as cidades de Shire e Adua desde a tarde de sexta-feira (20), com destino desconhecido. No sábado, ainda havia soldados nas duas cidades.

Os militares são acusados de inúmeros crimes contra a população civil. A sua presença foi um dos principais obstáculos à paz no norte da Etiópia, após o acordo assinado em 2 de novembro entre o governo etíope e os rebeldes da região para pôr fim aos dois anos de conflito.

"Vi as forças eritreias saindo de Shire em direção ao noroeste. Não sei se é uma retirada completa", disse um morador da região, falando sob condição de anonimato.

Em um vídeo gravao e enviado à AFP pelo mesmo morador, caminhões de soldados são vistos buzinando ao deixar a cidade, com a bandeira da eritreia tremulando ao vento.

Após um telefonema com o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse que "está ocorrendo uma retirada das tropas eritreias do norte da Etiópia".

Blinken comemorou a notícia e enfatizou que esta retirada "é essencial para garantir uma paz duradoura no norte da Etiópia", segundo comunicado do Departamento de Estado.

No entanto, as autoridades do Tigré, o governo etíope e o Igad - organismo regional da África Oriental que ajuda a mediar o processo de paz - não confirmaram à AFP a retirada das forças eritreias.

str-sva/atm/avl/an/ap