Forças especiais na Síria não implicam entrada dos EUA na guerra civil, diz Kerry

Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BISHKEK/Quirguistão (Reuters) - A decisão do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de enviar forças especiais para a Síria é estritamente focada no combate ao Estado Islâmico e não representa a entrada na guerra civil da Síria, afirmou o secretário de Estado dos EUA, John Kerry. "O presidente Obama tomou uma decisão muito forte, vigorosa e simples, totalmente de acordo com sua política originalmente declarada de que devemos derrotar e destruir o Daesh", afirmou Kerry, usando o termo árabe para Estado Islâmico. "Não é uma decisão de entrar na guerra civil da Síria. Não é uma ação voltada para (o presidente sírio, Bashar) Assad, é focada exclusivamente no Daesh e em aumentar a nossa capacidade de atacar rapidamente o Daesh", disse Kerry em uma entrevista coletiva durante visita a capital do Quirguistão, Bishkek. (Por Matt Spetalnick)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos