Forças internacionais e rebeldes se enfrentam na República Centro-Africana

(Arquivo) Ex-rebeldes Seleka circulam ao lado de um comboio de soldados do Chade, na cidade centro-africana de Bangui

A força militar internacional na República Centro-Africana, apoiada por militares franceses, enfrentou ex-rebeldes seleka em Bria (centro-leste), em combates que deixaram mortos e feridos, segundo um comunicado da missão das Nações Unidas (Minusca) divulgado nesta terça-feira.

"Há mortos e feridos", indicou o comunicado sem fornecer mais detalhes.

A Minusca "recuperou alguns edifícios públicos em Bria, ocupados ilegalmente por elementos armados ex-selekas", acrescentou a fonte.

"A operação foi lançada depois que os grupos armados se negaram em diversas ocasiões a deixar pacificamente" os edifícios estatais, explicou o comunicado.

Bria é uma importante cidade mineradora na qual os ex-combatentes seleka controlam o comércio de diamantes.

Por sua vez, a gendarmaria centro-africana anunciou a morte de 10 pessoas em um ataque de Boloum, localidade do norte atacada por milicianos da etnia peul na segunda-feira.

Na República Centro-Africana se enfrentam a ex-guerrilha rebelde seleka, majoritariamente muçulmana (no poder entre março de 2013 e janeiro de 2014), as milícias antibalaka, basicamente cristãs, e os nômades peuls, também de confissão muçulmana.

Três forças internacionais foram mobilizadas no país para tentar estabilizá-lo: Sangaris (francesa), Eufor-RCA (União Europeia) e Minusca (ONU).