Forças do Iraque travam batalha para conquistar mesquita simbólica de Mosul

Por Isabel Coles e John Davison
Forças iraquianas enfrentam combatentes do Estado Islâmico em Mosul 29/03/2017 REUTERS/Youssef Boudlal

Por Isabel Coles e John Davison

MOSUL (Reuters) - Forças especiais e policiais do Iraque enfrentaram militantes do Estado Islâmico com a meta de se aproximar da mesquita de Al-Nuri, no oeste de Mosul, nesta quarta-feira, aumentando o controle sobre o local simbólico em meio à batalha para recapturar a segunda maior cidade do Iraque, disseram comandantes militares.

O combate se concentra na Cidade Velha, nos arredores da mesquita de onde o líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, proclamou um califado em territórios do Iraque e da Síria controlados pelo grupo quase três anos atrás.

Milhares de moradores fugiram de áreas dominadas pelos extremistas no interior de Mosul, o maior bastião remanescente dos militantes no país. Mas dezenas de milhares mais ainda estão retidos em suas casas e expostos ao fogo cruzado, aos bombardeios e aos ataques aéreos no momento em que as forças iraquianas apoiadas pela coalizão liderada pelos Estados Unidos avançam no oeste.

Helicópteros sobrevoaram o oeste de Mosul e alvejaram posições do Estado Islâmico situadas além da estação de trem da cidade, local de ataques e contra-ataques intensos nos últimos dias, e colunas grossas de fumaça negra tomaram o céu, disseram repórteres da Reuters.

Disparos contínuos eram ouvidos na área da Cidade Velha, onde os militantes se escondem entre os moradores e usam as vielas, as casas de família tradicionais e as ruas estreitas e sinuosas a seu favor, contaram residentes em fuga.

"Forças da Polícia Federal impuseram um controle total sobre a área de Qadheeb al-Ban e o estádio esportivo de Al-Malab, na parte ocidental da Velha Mosul, e estão cercando os militantes ao redor da mesquita de Al-Nuri", disse o chefe da Polícia Federal, tenente-general Raed Shaker Jawdat, em um comunicado.