Forças russas preparam defesa em Kherson

As forças russas continuaram os preparativos defensivos na região de Kherson, nos últimos dias. Fontes militares ucranianas relataram que as tropas russas estão a tentar manter o território ocupado em direcção a Kherson, de acordo com o Instituto para o Estudo da Guerra, na sua última avaliação.

Fontes russas e ucranianas continuam a afirmar que as tropas de Moscovo estão a facilitar a retirada de civis da margem ocidental do rio Dnipro, o que indica uma preocupação contínua relativa a possíveis avanços ucranianos.

As autoridades russas dos territórios ocupados estão provavelmente a iniciar uma nova fase de reinstalação de residentes na região de Kherson: de uma forma privada e não organizada.

O Instituto para o Estudo da Guerra afirma que, ao fazê-lo, as autoridades russas podem estar a estabelecer mais condições de informação para acusar as forças ucranianas de pôr em perigo as vidas civis, enquadrando o fim das evacuações centralizadas, como sendo necessárias para proteger os civis.

Imagens de satélite do início de Novembro mostram linhas defensivas russas em Kakhovka, Hola Prystan e Ivanivka (a 60 km a sudoeste da cidade de Kherson) - todas elas situadas na margem oriental do rio Dnipro.

Euronews
Imagens de satélite. - Euronews

Kherson não é a única região onde as forças russas estão a preparar linhas de defesa, diz o Ministério da Defesa do Reino Unido, com base na última actualização dos serviços secretos.

A Rússia começou a construir estruturas defensivas em torno da cidade ucraniana ocupada de Mariupol. Duas fábricas estão a produzir estruturas piramidais de betão anti-tanque, conhecidas como dentes de dragão, com este objetivo.

Estas estruturas foram provavelmente instaladas entre Mariupol e a aldeia de Nikolske; E desde o norte de Mariupol até à aldeia de Staryi Krym. Mariupol faz parte da "ponte terrestre" da Rússia para a Crimeia, uma linha logística chave de comunicação

Esta actividade sugere que a Rússia está a fazer um esforço significativo para preparar as suas defesas em profundidade, na zona situada atrás da linha da frente, de modo a tentar antecipar quaisquer avanços ucranianos.