Forças ucranianas avançam no sul após Rússia anunciar retirada

Vila de Novooleksandrivka, na região de Kherson

Por Jonathan Landay

LINHA DE FRENTE NORTE DE KHERSON (Reuters) - Tropas ucranianas avançaram no sul do país nesta quinta-feira depois que Moscou ordenou uma das maiores retiradas da guerra, embora Kiev tenha permanecido publicamente cautelosa, alertando que a fuga de russos pode transformar Kherson em uma "cidade da morte".

O chefe do Exército da Ucrânia, Valeriy Zaluzhnyi, disse que Kiev ainda não pode confirmar se a Rússia está de fato se retirando, mas que as tropas ucranianas avançaram 7 km nas últimas 24 horas e recapturaram 12 assentamentos.

"Continuamos conduzindo a operação ofensiva de acordo com nosso plano", escreveu ele em uma publicação no Telegram.

Um pequeno grupo de soldados ucranianos foi exibido na televisão estatal ucraniana no centro da vila de Snihurivka, cerca de 55 km ao norte da cidade de Kherson. Eles foram recebidos por dezenas de moradores em uma praça, com uma bandeira ucraniana tremulando em um poste atrás deles. A Reuters verificou a localização do vídeo.

Na quarta-feira, Moscou ordenou que suas tropas se retirassem de toda a região controlada pelos russos na margem oeste do rio Dnipro, incluindo a cidade de Kherson, a única capital regional que a Rússia capturou em nove meses de guerra.

As autoridades ucranianas até agora têm sido cautelosas em público, alertando que os russos ainda podem estar planejando causar destruição ao sair.

A Rússia nega ter abusado de civis, apesar de bombardear áreas residenciais durante o conflito. Os russos têm retirado milhares de civis da área de Kherson nas últimas semanas, no que a Ucrânia chama de deportação forçada.

A Ucrânia quer infligir o máximo de dano possível às tropas russas enquanto tentam escapar pelo rio, e a cautela pública de Kiev pode refletir em parte sua política de manter silêncio sobre suas próprias operações.

A ordem de retirada da Rússia, pouco mais de um mês depois que o presidente Vladimir Putin proclamou a anexação de uma área que ele disse que faria parte da Rússia para sempre, é uma das derrotas mais humilhantes que Moscou sofreu até agora.

Após derrotas russas no norte e no leste da Ucrânia, a retirada deixa Moscou com apenas ganhos limitados para mostrar de uma "operação militar especial" que a tornou um pária no Ocidente e matou dezenas de milhares de seus soldados.

As forças russas ainda mantêm outras conquistas no sul, incluindo uma rota terrestre vital que liga a Rússia à península da Crimeia, tomada em 2014, e cidades no leste que foram destruídas principalmente enquanto as capturavam.

(Reportagem da Reuters)