Fora de candidatura ao Senado, Luxemburgo é procurado pelo Ceará

Luxemburgo planejava concorrer ao Senado pelo PSB de Tocantins, mas partido preferiu colocar outro candidato.
Luxemburgo planejava concorrer ao Senado pelo PSB de Tocantins, mas partido preferiu colocar outro candidato. Foto: (Bruna Prado/Getty Images)

Depois de ter tido o seu nome retirado da candidatura ao Senado Federal pelo PSB de Tocantins, o técnico Vanderlei Luxemburgo voltou às manchetes no Nordeste, mas por outro assunto. A soma da eliminação para o São Paulo na Copa Sul Americana e a derrota para o Fortaleza no clássico do último domingo fizeram com que o Ceará demitisse o técnico Marquinhos Santos e buscasse um novo comandante.

Sem vencer há quatro jogos, o Ceará, sob as ordens de Marquinhos, teve 45% de aproveitamento nas 17 partidas em que ele esteve na casamata, sendo seis vitórias, cinco empates e seis derrotas.

Leia também:

Além do nome de Vanderlei Luxemburgo, meios de comunicação do Ceará ventilam o nome dos técnicos Hélio dos Anjos e do recém demitido do Coritiba Gustavo Morinígo como outras possíveis opções para o comando técnico do Vozão.

Luxa retirado da corrida pelo Senado Federal

Multi campeão como treinador de futebol, com passagens por dezenas de clubes e pela Seleção Brasileira, Vanderlei Luxemburgo sofreu um forte baque nas suas pretensões de concorrer ao Senado Federal pelo estado do Tocantins. Durante uma reunião realizada nesta sexta-feira no diretório estadual do PSB, partido pelo qual o personagem futebolístico é filiado e iria concorrer, seu nome foi reprovado pelas lideranças da sigla, que preferiu o nome de Carlos Amastha, ex-prefeito de Palmas, capital do estado. A decisão do partido surpreendeu a Vanderlei Luxemburgo e sua equipe responsável pelo gerenciamento de seus perfis oficiais nas redes sociais, que já trabalhavam com publicações relacionando o nome do treinador ao Senado Federal com o slogan: "Quem julga é o povo, ele coloca e tira! Eu acredito na renovação do Senado".