Foragido no México, Zé Trovão pede que Bolsonaro dê sinais de que irá 'resolver o problema do Brasil'

·2 minuto de leitura
O bolsonarista Zé Trovão fala durante uma gravação para apoiadores em frente a uma parede de pedras enquanto veste chapéu e camiseta azul. (Reprodução/Twitter)
O bolsonarista Zé Trovão (reprodução/Twitter)
  • Zé Trovão afirmou que paralisação vai acabar quando Bolsonaro afirmar que vai resolver os problemas do país

  • Líder dos caminhoneiros cobrou diálogo e impeachment dos ministros do STF

  • Foragido no México, ele afirmou que deve ser preso em breve

Uma das principais lideranças da paralisação dos caminhoneiros pelo Brasil, Zé Trovão permanece foragido. De acordo com informações da revista Veja, o bolsonarista está no México, de onde comanda as ações e pediu que seus colegas “fechem tudo” nesta quinta-feira.

A declaração, feita em vídeo e postada em suas redes sociais, é uma resposta de Zé Trovão ao áudio divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), pedindo que os caminhoneiros recuem e coloquem fim à paralisação. O líder do movimento, porém, afirmou que não será assim tão fácil.

Leia também

“Se como chefe de Estado ele (Bolsonaro) acha que é prejudicial os caminhoneiros continuarem parados, a gente vai abrir um diálogo e voltar a trabalhar. Mas tem que abrir um dialogo. Não é simplesmente mandar um áudio que ninguém sabe se é dele”, declarou à Veja.

A paralisação dos caminhoneiros teve início depois das manifestações antidemocráticas lideradas por Bolsonaro no feriado de 7 de setembro. Os líderes do ato dizem apoiar as pautas do presidente, como os ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro pediu o fim da paralisação dos caminhoneiros - Foto: REUTERS/Adriano Machado
Bolsonaro pediu o fim da paralisação dos caminhoneiros - Foto: REUTERS/Adriano Machado

Mesmo assim, Bolsonaro enviou áudio aos manifestantes pedindo o fim da paralisação e afirmando que ela prejudica a economia do país. Questionado sobre uma suposta decepção com o presidente, Zé Trovão desconversou: “Eu não tenho decepção com o ser humano, com pessoas. Eu só quero que meu país funcione bem”.

O líder dos caminhoneiros esclareceu que não tem contato direto com Bolsonaro, já que possui “ordem restritiva”, mas deixou claro o que espera ouvir do presidente para, enfim, colocar fim à manifestação.

Caminhoneiros bloquearam rodovias por todo o Brasil - Foto: AFP / Miguel SCHINCARIOL
Caminhoneiros bloquearam rodovias por todo o Brasil - Foto: AFP / Miguel SCHINCARIOL

“Que ele vai resolver o problema do Brasil. Ele tem que resolver o problema da injustiça que o Alexandre de Moraes está fazendo com todo mundo, censurando pessoas e mandando prender inocentes. Isso tudo tem que acabar. Se o presidente garantir pro povo brasileiro que ele vai tomar as ações cabíveis, que a coisa vai funcionar do jeito certo, ninguém quer criar caos no país”, afirmou.

Zé Trovão destacou que o impeachment dos ministros do STF é considerado fundamental na pauta dos caminhoneiros. “Precisamos colocar ordem na Justiça brasileira. O Bolsonaro está sendo atacado. Então quem está arrebentando a corda? Ele simplesmente está falando que o que o Alexandre de Moraes está fazendo é inconstitucional.”

Pedido de asilo e prisão iminente

Zé Trovão considerou ser vítima de uma injustiça do STF, que decretou sua prisão após pedido da Procuradoria-Geral da República. Ele afirmou que pediria asilo político ao governo mexicano e que sentia-se seguro no país.

Momentos após a entrevista, porém, o caminhoneiro mudou o discurso e admitiu que sua prisão deve acontecer em breve. “A embaixada brasileira acaba de entrar em contato com o hotel onde eu estou. Provavelmente serei preso.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos