Forças Armadas contarão votos em paralelo pela 1ª vez desde a Ditadura

Forças Armadas estarão em seções eleitorais espalhadas pelo país para acessar boletins de urna (Foto: Getty Images)
Forças Armadas estarão em seções eleitorais espalhadas pelo país para acessar boletins de urna (Foto: Getty Images)

As Forças Armadas farão uma movimentação inédita desde a redemocratização do Brasil: nas eleições, o Exército fará uma contagem paralela dos votos. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Militar estarão em seções eleitorais em todo o país para tirar e enviar fotos do QR Code que consta nos boletins de urna. Os dados serão repassados ao Comando de Defesa Cibernética do Exército, em Brasília, responsável por fazer uma contagem paralela dos votos, ao mesmo tempo em que é feita a apuração do Tribunal Superior Eleitoral.

Segundo a Folha, militares afirmam que a contagem será feita a partir de 385 boletins de urna, amostragem que seria suficiente para garantir 95% de confiabilidade da apuração paralela das Forças Armadas.

Além disso, o resultado de cada boletim de urna será conferido com os dados enviados pelos Tribunal Regionais Eleitorais ao TSE.

Em 31 de agosto, o presidente do TSE, o ministro Alexandre de Moraes, fechou um acordo com os militares para liberar que as entidades fiscalizadoras tenham acesso aos arquivos da totalização de votos, enviados pelo TREs. Com isso, as Forças Armadas terão acesso em tempo real a todos os dados referentes à totalização de votos – antes, as informações precisavam ser acessadas na base de dados do TSE, disponível na internet.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

À Folha, membros das Forças Armadas afirmaram que os resultados apurados pelos militares devem ser divulgados na mesma noite do resultado oficial.