Fortes chuvas matam 15 em região andina da Venezuela

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
"A tragédia de 2005 se repetiu (foto)", disse à AFP Jesús Quintero, jornalista que mora em Mérida
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Pelo menos 15 pessoas morreram em cidades andinas da Venezuela, duramente atingidas pelas chuvas que afetaram mais de 35 mil pessoas, informou a autoridade regional nesta terça-feira (24).

“Só no estado de Mérida (oeste) são 15 falecidos, dos quais podemos dizer que dois deles são do município de Sucre e os demais são do setor do Vale dos Mocotíes”, informou o chamado 'protetor' de Mérida, Jehyson Guzmán, uma autoridade paralela nomeada pelo presidente Nicolás Maduro em estados governados pela oposição.

Chuvas caíram por várias horas no Vale dos Mocotíes, região agrícola muito visitada por turistas. Rochas gigantescas rolaram das montanhas danificando e bloqueando estradas.

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram veículos sendo arrastados por um forte fluxo de água em Tovar. Em outros vídeos, os carros aparecem enterrados ou presos entre galhos, lama, destroços e móveis. A região ficou sem luz e serviço de telefonia.

Cerca de 35 mil pessoas foram "afetadas diretamente pelas chuvas" registradas em 11 estados do país e mais de 8 mil casas foram "destruídas", declarou Maduro em pronunciamento na emissora estatal.

Só em Mérida “tivemos 804 casas atingidas pelo deslizamento de lama (...), 60 casas que desapareceram, que o rio passou e essas casas deixaram de existir, também temos 60 casas com perda total”, explicou Guzmán, em um contato telefônico com Maduro.

A Venezuela está, portanto, "no meio de uma temporada de chuvas tempestuosas", havia dito o ministro do Interior, Remigio Ceballos.

- "Situação dramática" -

Uma das vítimas é a mãe de um padre católico que viajava com sua família quando a enchente do rio os deixou presos na lama, disse à AFP Jesús Quintero, jornalista que mora em Mérida.

“A situação é dramática, triste, desesperadora. Perder tudo não é fácil, pior ainda, perder familiares. A tragédia de 2005 se repetiu”, disse.

O padre Darwin Ramírez, de San Francisco de Tovar, "conseguiu se salvar saindo pela janela de seu veículo", informou a arquidiocese de Mérida no Twitter.

Além de Mérida, as chuvas afetaram outras regiões da Venezuela, incluindo a capital Caracas. O Instituto Nacional de Meteorologia e Hidrologia (Inameh) divulgou um alerta no qual prevê o aumento da vazão de rios em pelo menos seis estados.

Dos estados atingidos por fortes chuvas, três estão em alerta amarelo: Apure, Amazonas e Falcón. Bolívar, Guárico e Zulia estão em alerta vermelho.

jt-mbj/lm/jc/mvv/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos