Corpos de 11 imigrantes são encontrados em frente ao litoral da Líbia

Trípoli, 22 abr (EFE).- A guarda costeira da Líbia recuperou neste domingo, nas águas do Mar Mediterrâneo, os corpos de 11 pessoas que aparentemente morreram quando tentavam viajar para a Europa em um bote inflável, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

Segundo Ayoub Qasem, porta-voz da marinha líbia no oeste do país, os mortos viajavam com outras 80 pessoas que foram resgatadas a cerca de 16 milhas náuticas das praias de Sabratha, um dos principais núcleos do tráfico de pessoas no norte da Líbia.

"A maior parte (dos migrantes) procede de países da África Subsaariana. Todos foram transferidos para um centro (de detenção) na cidade de Al Zawiya", que é considerada um outro centro de tráfico humano na Líbia, acrescentou a fonte.

As praias que se estendem entre Trípoli e a fronteira com a Tunísia se transformaram nos últimos dois anos no principal santuário das máfias que traficam seres humanos, apesar da presença de navios-patrulha europeus.

Segundo dados da Organização Internacional de Migrações (OIM), que é vinculada ao Sistema ONU, mais de 171.635 imigrantes irregulares conseguiram atravessar o Mediterrâneo para chegar à Europa em 2017, enquanto 3.116 desapareceram no mar.

Só no primeiro mês de 2018, outros 6.161 imigrantes conseguiram chegar às praias europeias, enquanto 359 morreram na tentativa.

As ONGs qualificam de "devoluções imediatas" os resgates da marinha líbia e advertem que os mesmos violam a lei internacional, já que os imigrantes são levados para um porto que a comunidade internacional considera inseguro. EFE