Jovem espanhola desaparecida na Turquia está bem e será deportada ao R.Unido

Ancara, 27 abr (EFE).- A argentina María Jimena Rico, desparecida na Turquia, está sã e salva no país e será deportada ao Reino Unido, onde reside, confirmou nesta quinta-feira à Agência Efe o embaixador da Espanha em Ancara.

O embaixador espanhol, Rafael Mendívil Peydro, explicou que tanto Jimena como sua namorada egípcia, Shaza Ismail, foram detidas na cidade de Samsun e depois levadas a Istambul.

"Foi confuso. Desapareceram durante três dias", relatou o diplomata.

"Mas agora estão a salvo e em Istambul em um centro de detenção para pessoas que serão deportadas. Tiveram que entrar em contato conosco porque não têm passaporte", indicou o embaixador.

Peydro explicou que uma vez que tenham conseguido os documentos necessários, as jovens serão enviadas a Londres, a cidade na qual vivem.

"Por sorte, tudo foi resolvido de forma positiva", disseo embaixador.

María Jimena Rico, de 28 anos, nascida na Argentina e de pai espanhol, viajou junto com sua namorada até Dubai para visitar a mãe desta última, que, aparentemente, estava doente.

No entanto, essa doença foi inventada dentro de um plano orquestrado pelo pai de Shaza para prender a egípcia nesse país, onde sua família reside.

Depois que as jovens foram informadas que os pais da egípcia tinham denunciados as duas por homossexualismo em Dubai, conseguiram fugir de avião até a Geórgia, onde permaneceram três dias na casa de amigos.

Quando estavam no aeroporto para voar para Londres, onde María trabalha atualmente, o pai de sua namorada apareceu, quis levá-las à força e estragou seus documentos, além de ameaçá-las de morte, segundo a família da jovem argentina.

Por esses fatos foram detidos tanto o pai como o casal. Quando as jovens foram postas em liberdade, chegaram à fronteira com a Turquia, onde depois de várias tentativas de entrada, conseguiram entrar em um carro que as levou até Samsun.

Ao chegar ali, foram detidas pela polícia turca durante 12 horas, acusadas de terrorismo, mas finalmente foram liberadas e levadas à rodoviária, para irem até Istambul, onde tinham reservado um hotel ao qual nunca chegaram.

A família da jovem argentina pediu ontem ajuda às autoridades espanholas para localizar María Jimena, de quem não haviam notícias desde segunda-feira. EFE