Fotógrafo de moda na Itália, brasileiro leva 48 horas para voltar ao país: ‘Quatro aviões e três países para chegar’

1 / 5

glauber

Fotógrafo de moda na Itália, brasileiro leva 48 horas para voltar ao país: ‘Quatro aviões e três países para chegar’

O fotógrafo de moda Glauber Bassi passou por uma verdadeira maratona para fugir do coronavírus na Itália. Radicado no país, ele quis se refugiar com a família no Brasil, assustado com o que viu na Europa. “Foi muito difícil chegar no Brasil, foram 48 horas de viagem, quatro conexões de avião e ainda passei por três países para chegar em Guarulhos”, conta ele, que desembarcou há poucos dias em São Paulo, e está numa fazenda no interior.

Respeitando o isolamento social, Bassi largou a moda nesse período para se dedicar aos cliques de detalhes que ele julga passar despercebidos em sua querentena no campo. No lugar de modelos e roupas sofisticadas entraram em cena vacas, flores e natureza. Tudo em preto e branco,

“Aprendemos a capturar detalhes jamais vistos, como um simples ponto em uma flor, um animal, um objetivo. Com o tempo livre podemos dar valor a esses detalhes, respirar um pouco e pensar em coisas positivas”, avalia. Glauber ainda ressaltou que não sente sintomas do coronavírus, mas decidiu ficar na fazenda para evitar o máximo de contato com as pessoas caso tenha contraído a doença e ainda não saiba: “Fico em isolamento para proteger o coletivo”.