10 / 16

Crise de segurança em SP

Crise de segurança em São Paulo
Quase 600 mortos no estado de São Paulo desde o começo do ano. Um aumento de 48% na comparação com o ano anterior. Chacinas quase diárias. A crise tem vínculo direto com o PCC (Primeiro Comando da Capital), que domina presídios e serviços em áreas pobres principalmente na região metropolitana de São Paulo. A tensão subiu ao ponto de o governador Geraldo Alckmin passar do quase silêncio sobre o assunto à substituição do secretário de Segurança Pública. Membros importantes do grupo criminoso foram mortos no ano passado, supostamente a mando de policiais. Por conta disso, teriam partido de presídios no primeiro semestre deste ano, segundo a própria polícia, ordens para a quadrilha reagir. O confronto também inclui suspeitas de esquadrões da morte articulados por PMs para caçar bandidos sem usar farda. O governo federal diz que ofereceu ajuda, mas Alckmin recusou. Uma crise que promete adentrar 2013. (Cristiano Novais/Estadão Conteúdo)

Notícias do ano

20 de dezembro de 2012

Relembre os fatos mais importantes e os eventos mais chocantes de 2012.