Foxconn diz que produção está se recuperando apesar de queda na receita

Foxconn

Por Sarah Wu e Yimou Lee

TAIPÉ (Reuters) - A taiwanesa Foxconn, maior fabricante terceirizada de eletrônicos do mundo, disse nesta quinta-feira que a produção em sua fábrica de iPhones na China "basicamente voltou ao normal" e a receita da empresa de dezembro marcou o início de uma recuperação, ainda que tenha caído 12,3% ano a ano.

A produção de iPhones enfrentou interrupções antes dos feriados de Natal e Ano Novo Lunar - que ocorre em janeiro -, depois que restrições para controle da Covid-19 levaram milhares de trabalhadores a deixar as linhas da fábrica da Foxconn na cidade chinesa de Zhengzhou.

Embora menor em comparação ao ano anterior, a empresa disse que a receita de dezembro foi melhor do que o esperado. A companhia afirmou que uma "recuperação gradual" em sua fábrica de Zhengzhou contribuiu para um "crescimento de dois dígitos" ante novembro na receita de seus negócios de eletrônicos 'smart' de consumo.

O crescimento em dezembro em comparação com o mês anterior na receita dos negócios de eletrônicos de consumo, incluindo smartphones, mostrou que a Apple não reduziu os pedidos, disse uma fonte da Foxconn familiarizada com o assunto.

Uma alta base de comparação também levou ao declínio da receita ano a ano, acrescentou a pessoa.

Em 2022, a receita da Foxconn aumentou 10,47% em relação ao ano anterior, atingindo um recorde, impulsionada pelo crescimento nas principais linhas de produtos, de smartphones a servidores, informou a empresa.

No quarto trimestre, a fábrica de Zhengzhou enfrentou rígidas restrições da Covid-19 - que vêm sendo relaxadas -, o que alimentou o descontentamento entre os trabalhadores com as condições da fábrica. O período também foi marcado por agitação dos funcionários sobre pagamento.

A Foxconn ofereceu bônus para atrair novos funcionários e convencer outros a permanecerem.

A Foxconn pretendia retomar a produção total na fábrica entre o final de dezembro e o início de janeiro, disse uma fonte da empresa à Reuters no mês passado.

A Foxconn monta cerca de 70% dos iPhones globalmente, segundo analistas, e a fábrica de Zhengzhou produz a maioria de seus modelos premium, incluindo o iPhone 14 Pro.

A empresa disse no comunicado desta quinta-feira esperar que a receita do primeiro trimestre "esteja mais ou menos em linha com o consenso do mercado", sem dar mais detalhes.

Analistas esperam que a receita do primeiro trimestre cresça 5,6% ano a ano, de acordo com a Refinitiv.

As ações da Foxconn fecharam em queda de 0,1%, enquanto o principal índice de ações de Taiwan subiu 0,72%.