Foxconn mostra cautela com perspectiva de receita para 2022

·1 min de leitura

Por Yimou Lee e Sarah Wu

TAIPEI (Reuters) - A Foxconn, fornecedora da Apple, previu nesta sexta-feira que uma escassez global de chips ocorrerá no segundo semestre de 2022 e que sua receita do quarto trimestre para eletrônicos, incluindo smartphones, cairá mais de 15%.

O presidente Liu Young-way disse em teleconferência que a Foxconn está cautelosa sobre perspectivas de receita para 2022, citando incertezas trazidas pela pandemia de Covid-19, inflação, tensões geopolíticas e cadeias de abastecimento.

A Foxconn teve alta de 20% no lucro do terceiro trimestre.

"Em relação às perspectivas do próximo ano, seremos relativamente cautelosos em nossas perspectivas", disse Liu.

Além de prever queda na receita com eletrônicos de consumo, que inclui smartphones, a Foxconn espera que a receita geral do quarto trimestre caia entre 3% e 15%. Os analistas previram uma queda de 11%, de acordo com estimativa de consenso da Refinitiv.

A perspectiva veio após um terceiro trimestre forte, com a receita crescendo 9%, ajudada pela forte demanda de smartphones, que se manteve estável apesar dos problemas de abastecimento.

O lucro líquido saltou para 37 bilhões dólares taiwaneses (1,33 bilhão de dólares), superando a estimativa de consenso da Refinitiv de 31,73 bilhões dólares taiwaneses.

Analistas esperavam que as vendas do iPhone impulsionassem a Foxconn no terceiro trimestre e a empresa garantiu mais de 75% dos pedidos de montagem, incluindo os do iPhone 13.

A Foxconn disse esperar que seu negócio de veículos elétricos contribua com a receita no terceiro trimestre de 2022, quando poderá iniciar a produção na América em uma parceria com a Lordstown Motors o mais breve possível.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos