França avança para destacar combate à mudança climática na Constituição

·1 minuto de leitura
Parlamento da França

PARIS (Reuters) - A Assembleia Nacional da França votou nesta terça-feira para destacar o combate à mudança climática e a proteção da biodiversidade na Constituição, o primeiro passo rumo a um referendo nacional sobre o tema.

Parlamentares da câmara baixa deram 391 votos a favor e 47 contra um projeto de lei climático mais abrangente que inclui a cláusula.

O presidente francês, Emmanuel Macron, prometeu a possibilidade de mencionar a proteção do meio ambiente e o enfrentamento da mudança climática na Constituição em dezembro ao se ver na mira de facções de esquerda de seu partido de centro por não fazer o suficiente para combater o aquecimento global.

"Este texto representa a verdadeira oportunidade de realizar o referendo prometido pelo presidente", disse o ministro da Justiça, Éric Dupond-Moretti, à assembleia.

Mas o Senado também precisa apoiar a cláusula para que um referendo seja organizado. A Casa é dominada por conservadores e mais refratária à proposta.

O esboço da lei emendaria o Artigo 1º da Constituição para que ele inclua a linha: "(A Constituição) garante a preservação do meio ambiente e da biodiversidade e a luta contra a mudança climática".

O Partido Verde francês ganhou ímpeto nos últimos dois anos, superando o partido governista de Macron nas eleições regionais do verão passado. Aliados do presidente temem que os Verdes possam minar sua base de apoio na esquerda política na eleição presidencial de 2022.

(Por Elizabeth Pineau)