França: coalizão da esquerda para eleições legislativas conta com apoio de eleitores progressistas

O jornal Libération dessa quarta-feira (12) traz uma pesquisa de opinião exclusiva que mostra que mais de dois terços (78%) dos simpatizantes da esquerda francesa apoiam a união dos partidos progressistas para as eleições legislativas de junho, consideradas por muitos como o "terceiro turno" da votação que reelegeu Emmanuel Macron por mais cinco anos na presidência.

Logo depois que os resultados da eleição presidencial foram conhecidos, em 26 de abril, o terceiro colocado, o candidato da esquerda radical Jean-Luc Mélenchon, se lançou em uma cruzada pela união dos partidos de esquerda na França e os ecologistas. Ele se apresentou, inclusive, como candidato ao posto de primeiro-ministro.

A proposta inédita foi considerada pouco realista, já que na França, que tem um sistema semipresidencialista, presidente e primeiro-ministro raramente foram de partidos diferentes.

O chefe de Estado eleito tradicionalmente consegue a maioria da Assembleia Nacional nas eleições legislativas, que renovam o Parlamento após a eleição do novo presidente. Uma maioria de deputados de esquerda no Legislativo francês obrigaria Macron a escolher um governo de oposição, o que é chamado na França de “coabitação”.

Efeito mágico

Mas o páreo está longe de estar ganho, lembra Libération. De acordo com uma pesquisa do instituto Opinion Way para o jornal Les Echos, os aliados de Emmanuel Macron podem conseguir eleger entre 310 a 350 deputados, ou seja, a maioria absoluta.


Leia mais

Leia também:
Socialistas aprovam aliança com Mélenchon para enfrentar eleições legislativas na França
França: partidos de esquerda formam aliança de oposição para se "vingar" de derrota na eleição
Unida a Mélenchon, esquerda inicia campanha para eleições legislativas na França

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos