França espera superar sua meta de vacinação e critica laboratórios

·1 minuto de leitura
O primeiro-ministro francês Jean Castex em visita à UTI do hospital La Pitie-Salpetriere em Paris

A França espera superar o objetivo das 10 milhões de pessoas vacinadas contra a covid-19 até meados de abril, declarou neste sábado (13) seu primeiro-ministro Jean Castex, que criticou os laboratórios pelos atrasos nos prazos de entrega.

"Teremos em abril um grande desafio, porque teremos muitas vacinas", disse Castex durante uma visita a um centro de vacinação en Saint-Maixent-L'Ecole (oeste da França).

"Estabelecemos o objetivo de 10 milhões de vacinações para 15 de abril e espero que superaremos o número. Mas temos que ser prudentes, porque os laboratórios criam problemas com os prazos de entrega. É preciso se adaptar".

O grupo anglo-sueco AstraZeneca anunciou neste sábado uma outra redução de suas vacinas para a União Europeia, alegando restrições de exportação.

Esta vacina também é muito criticada por vários países depois da suspensão preventiva do seu uso pela Dinamarca, Islândia, Noruega e Bulgária devido a graves casos graves de formação de coágulos sanguíneos.

A OMS declarou na sexta-feira que não há "motivo para não usar" esta vacina, porque até agora não foi encontrada nenhuma relacção de causa e efeito.

O primeiro-ministro francês defendeu a vacina da AstraZeneca. "Eu não daria um veneno para os meus cidadãos", garantiu ao jovem prefeito de Saint-Maixent, Stéphane Baudry.

A França ultrapassou na sexta-feira as 90.000 mortes de covid-19 desde o início da pandemia, há um ano.

Devido ao aumento do número de pessoas em terapia intensiva, a situação hospitalar é "extremamente tensa" na região da Ilha da França, que inclui Paris e seus arredores, admitiu o primeiro-ministro na sexta-feira.

jmt-ib/dch/pz/lch/eg/jz/aa