França está disposta a defender a 'integridade territorial' da Ucrânia

·1 min de leitura
O presidente francês Emmanuel Macron durante um discurso em Paris em 11 de novembro de 2021 (AFP/Ludovic MARIN)

O presidente francês Emmanuel Macron disse nesta segunda-feira (15) a seu homólogo russo, Vladimir Putin, que a França está disposta a defender a "integridade territorial" da Ucrânia.

A declaração chega após o chefe da Otan, Jens Stoltenberg, alertar Moscou contra qualquer ofensiva, já que, nas últimas semanas, "grandes e incomuns concentrações de forças russas" foram vistas na fronteira com a Ucrânia.

Em uma conversa telefônica de cerca de duas horas, Macron expressou a "profunda preocupação" da França e sua disposição de "defender a integridade territorial da Ucrânia", segundo o gabinete do presidente francês.

Putin respondeu dizendo que as autoridades ucranianas "dificultaram" as negociações, afirmou o Palácio do Eliseu, acrescentando que essa linha de raciocínio era "frequentemente" usada pelo líder russo.

Os Estados Unidos e a União Europeia já expressaram sua crescente preocupação com os movimentos recentes de tropas russas na fronteira com a Ucrânia.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse na semana passada que seria um "grave erro da Rússia repetir o que fez em 2014" quando tomou a Crimeia de Kiev.

E nesta segunda-feira, o Ministério das Relações Exteriores da Alemanha pediu a Moscou que exerça "moderação" na fronteira ucraniana e "retorne à mesa de negociações".

A Ucrânia tem enfrentado grupos separatistas apoiados pela Rússia desde que o país anexou a península da Crimeia em 2014.

leb/cs/meb/jvb/ic

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos