França estuda nova lei para conter pandemia em meio a surto de casos

·1 minuto de leitura
Manifestação contra extensão do passe sanitário, em Nantes (oeste da França), em 17 de julho de 2021

Frente a um "estratosférico" aumento de casos de covid-19, o Conselho de Ministros da França adota, nesta segunda-feira (19), um projeto de lei que estabelece a vacinação obrigatória do pessoal de saúde e que estende o uso do passe sanitário para se ter acesso a vários lugares.

As medidas provocaram uma reação dos movimentos antivacina, que foram às ruas no sábado (17) em protesto.

"Estamos no início da quarta onda, com um aumento estratosférico da incidência", alertou o porta-voz do governo, Gabriel Attal, nesta segunda, à Franceinfo.

No domingo (18), a agência de saúde pública francesa (Santé Publique France) registrou 12.532 casos em 24 horas. Este foi o nível mais alto detectado em um domingo desde meados de maio.

As medidas mais importantes da lei - como a vacinação obrigatória do pessoal de saúde e o uso do passe sanitário para ter acesso, por exemplo, a trens, bares e restaurantes - contam com amplo apoio da população.

O texto poderá ser aprovado na próxima sexta (23) no Parlamento.

]cs-bur/elm/cac/grp/zm/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos