França permite que barco de imigrantes atraque no país e faz críticas à Itália

Autoridades francesas auxiliam imigrante no Mar Mediterrâneo

Por Dominique Vidalon e Marc Leras

PARIS (Reuters) - A França disse nesta quinta-feira que permitirá que um navio de ONG que transporta mais de 200 imigrantes resgatados no Mediterrâneo atraque no porto de Toulon, após discussões tensas com a Itália, cuja atitude o governo francês criticou duramente.

A imigração é um assunto polêmico em ambos os países, e o ministro do Interior, Gérald Darmanin, disse que a proibição do governo da Itália ao barco, que ficou preso no país por dias, é "incompreensível" e "egoísta".

"Neste contexto, a França decidiu excepcionalmente compensar o comportamento inaceitável do governo italiano e convidar o navio a vir ao porto militar de Toulon", disse Darmanin em entrevista coletiva.

Há 234 pessoas a bordo, incluindo 57 crianças. A França receberá cerca de um terço, a Alemanha outro terço e o restante será dividido entre outros países da União Europeia, disse Darmanin, enfatizando que aqueles que não se qualificarem para asilo serão expulsos.

O navio estava navegando na quinta-feira pela ilha francesa da Córsega, mostrou o aplicativo rastreador MarineTraffic, mas estava perto da Itália antes disso. Ele estava programado para chegar em Toulon na sexta-feira.

"Não há dúvida de que (o Ocean Viking) estava na zona de pesquisa e resgate da Itália", disse Darmanin, acrescentando que "haverá consequências extremamente fortes no relacionamento bilateral".

A Itália rejeitou firmemente as críticas, dizendo que a reação francesa destaca o fracasso da Europa em lidar com um número crescente de imigrantes, muitos dos quais chegam ao continente por meio de barcos do norte da África.

"A reação da França ao pedido de receber 234 imigrantes, enquanto a Itália recebeu 90.000 somente este ano, é totalmente incompreensível diante dos constantes pedidos de solidariedade", disse o ministro do Interior, Matteo Piantedosi, em comunicado.

Itália e Espanha, por onde chegam a maioria dos imigrantes que cruzam o Mediterrâneo por mar, há muito dizem que outros, incluindo a França, devem fazer mais para ajudar.

A questão de como lidar com a imigração na União Europeia tem sido fonte de tensões há anos, mas as críticas muito abertas e duras da França à Itália nesta quinta-feira são mais incomuns.

"A França lamenta profundamente que a Itália tenha decidido não se comportar como um Estado europeu responsável", disse Darmanin, que convocou uma reunião do bloco europeu para discutir a imigração e a atitude da Itália.

(Reportagem adicional de Elizabeth Pineau, Dominique Vidalon, Tangi Salaun, Sudip Kar-Gupta em Paris, Crispian Balmer em Roma)