França supera os 10.000 mortos por coronavírus

Mulher olha celular no metrô de Paris, em 23 de março de 2020, sétimo dia de confinamento na França pelo coronavírus

A França superou nesta terça-feira a marca de 10.000 mortes causadas pelo novo coronavírus, com 597 vítimas fatais adicionais em hospitais nas últimas 24 horas, informou o diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon.

Salomon informou em sua entrevista coletiva diária um total de 10.328 mortes até o momento. Desse total, 7.091 foram registradas em hospitais e 3.237 em casas de repouso desde o dia 1 de março.

"Ainda não estamos no auge da epidemia, pois todos os dias há um pouco mais de doença nos hospitais e todos os dias um pouco mais em reanimação (na terapia intensiva)", disse Salomon.

Atualmente, 7.131 pessoas estão em terapia intensiva, "um nível nunca antes alcançado na França", afirmou.

O número de hospitalizados é de 30.000 e o número de curados totalizou 19.337.

"Devemos continuar absolutamente mobilizados com o confinamento, com as medidas de barreira, com o distanciamento social. O tempo para o fim do confinamento ainda não chegou", enfatizou o diretor geral de Saúde.

A França, o terceiro país mais afetado na Europa no número de mortes pelo COVID-19, atrás da Itália e da Espanha, entrou nesta terça-feira na quarta semana de confinamento de sua população.

O confinamento começou em 17 de março e está programado para durar até 15 de abril, mas as autoridades sugeriram que continuará.

"O confinamento durará o tempo que for necessário", disse o ministro da Saúde, Olivier Véran, enquanto o primeiro-ministro observou que "o confinamento durará", sem dar mais detalhes.