França terá nova fábrica de microchip europeia. Projeto de R$ 30,8 bi é estratégico para não depender da Ásia

A GlobalFoundries e a STMicroelectronics concordaram em construir uma fábrica de semicondutores na França, com o apoio do governo, o segundo projeto anunciado no âmbito da União Europeia, enquanto os países do grupo trabalham para aumentar a capacidade local e aliviar as restrições da cadeia de suprimentos, diminuindo assim sua dependência da Ásia.

Previdência: Quase 2 mil cidades descumprem reforma e podem ficar sem dinheiro da União

Luiza Trajano: 'Independentemente da economia, negócio bom a gente compra'

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira, as empresas disseram que a fábrica seria uma “empresa multibilionária” com investimento em euros, que inclui apoio financeiro significativo do governo francês, sem dar detalhes adicionais.

O governo francês informou, em um comunicado separado, que a fábrica representará um investimento em euros equivalente a R$ 30,791 bilhões (US$ 5,8 bilhões) e deverá criar 1.000 empregos.

O projeto é o segundo anunciado sob a Lei de Chips da União Europeia - um plano ambicioso de 43 bilhões de euros (US$ 48 bilhões) para subsidiar a produção de semicondutores na Europa. O primeiro foi anunciado em março, quando a Intel delineou planos para investir 17 bilhões de euros na produção de semicondutores na Alemanha. Este é o segundo investimento de peso anunciado pela Intel neste ano. Em janeiro, a companhia informou que vai investir US$ 20 bilhões em duas novas fábricas em Ohio, nos Estados Unidos, para produzir semicondutores

Crime: Corpo de petista será enterrado nesta segunda-feira em Foz do Iguaçu

A Comissão Europeia pretende produzir 20% dos chips do mundo até 2030 para ajudar a aliviar as restrições da cadeia de suprimentos.

A GlobalFoundries e a STMicro irão operar conjuntamente a instalação, que estará localizada perto da fábrica já existente da STMicro nos arredores de Grenoble, na França. O objetivo é atingir a capacidade total até 2026, produzindo até 620 mil chips por ano para indústrias como montadoras de automóveis e fábricas de diferentes segmentos.

O anúncio faz parte do esforço do presidente francês Emmanuel Macron para atrair investidores estrangeiros durante uma participação na Cúpula da França nesta segunda-feira e de uma viagem a Grenoble, na terça-feira.

Meio ambiente: Shell aporta R$ 200 milhões na Carbonext, empresa de crédito de carbono que atua na Amazônia

- Teremos mais capacidade para apoiar os nossos países europeus e clientes globais à medida que fazem a transição para a digitalização e descarbonização - afirmou o CEO da STMicro, Jean-Marc Chery, em um evento na França na qual anunciou a iniciativa.

A escassez prolongada desses componentes, cruciais para a produção de uma série de produtos — desde carros e smartphones a ventiladores hospitalares — evidenciou a importância das cadeias de suprimentos globais para o fabricantes, que estão procurando construir mais fábricas para fazer chips avançados para uso em smartphones premium, por exemplo, como os mais recentes iPhones da Apple.

A nova fábrica reforçará a posição da GlobalFoundries “como principal fabricante de semicondutores na Europa”, disse Thomas Caulfield, CEO da companhia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos