França vai melhor que rivais no segundo turno, mas todos perdem para Covas, diz Datafolha

IGOR GIELOW
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O candidato do PSDB a prefeito do São Paulo, o atual ocupante do cargo Bruno Covas (PSDB), derrotaria hoje seus três adversários mais próximos na disputa em um eventual segundo turno. O melhor colocado numa disputa contra o tucano seria o ex-governador Márcio França (PSB). É o que aferiu o Datafolha em pesquisa conduzida em 3 e 4 de novembro. Foram ouvidos 1.260 eleitores. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou menos. O nível de confiança utilizado é de 95%. O segundo turno ocorre quando o candidato à frente no pleito não atinge 50% dos votos mais um. É o cenário apontado neste momento pelo Datafolha. Na pesquisa estimulada para o primeiro turno, o tucano lidera com 28% das intenções de voto. É seguido, em empate triplo, por Celso Russomanno (Republicanos, com 16%), Guilherme Boulos (PSOL, 14%) e Márcio França (PSB, 13%). Entre os ocupantes do segundo pelotão, o ex-governador França, que era vice de Geraldo Alckmin quando o tucano deixou o Palácio dos Bandeirantes para a disputa fracassada da Presidência em 2018, é o melhor colocado num segundo turno. Ele teria 39%, ante os 48% do prefeito Covas. Votariam em branco ou nulo 12%, e 2% não sabem o que irão fazer. Numa disputa entre Covas, candidato associado ao governador João Doria (PSDB), contra Russomanno, o nome do presidente Jair Bolsonaro na cidade, o tucano venceria por 57% a 27%. É uma inversão total do quadro do final de setembro, quando a campanha começou. Nos dias 21 e 22 daquele mês, o Datafolha apontou o deputado federal com 46% num segundo turno, ante 40% do atual prefeito. Um mês depois, em nova rodada da pesquisa, a curva já havia mudado, com Covas pontuando 48% e Russomanno, 36%. Hoje, 15% votariam em branco ou nulo, e 1% não dizem não saber. Já um embate entre Covas e Boulos colocaria o tucano com 54% e o representante do PSOL, com 32%. Brancos e nulos somam 12% e não sabem dizer sua opção, 1%. O Datafolha também simulou uma disputa hoje improvável, entre Russomanno e Boulos. Nela, haveria um empate no segundo turno, com o nome do PSOL com 41% e o do Republicanos, com 39%. Não gostariam de votar 19% que optariam pelo branco ou nulo, e 1% não saberiam o que fazer. A pesquisa foi contratada pela Folha de S.Paulo e pela Rede Globo, e está registrada no TRE-SP sob o número SP-06709/2020.