França vai reavaliar gastos miliares e Paris pede mais cooperação europeia para Defesa

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O assunto ganha destaque no momento em que países ocidentais enviam ajuda militar à Ucrânia, invadida por tropas russas. O presidente Emmanuel Macron disse nesta segunda-feira (13) que a França vai reavaliar seus gastos militares, entrando em uma "economia de guerra" face à invasão russa da Ucrânia. Ele também reforçou o apelo para construir uma indústria de Defesa europeia "muito mais forte".

A fala foi dita na abertura da Eurosatory, a maior exposição internacional de defesa e segurança terrestre que acontece em Villepinte, nordeste de Paris. Para Macron, foi uma oportunidade para abordar “a convulsão geopolítica causada pela guerra na Ucrânia”. Sobre as consequências do conflito, a França deverá "entrar em uma economia de guerra na qual acredito que teremos que nos organizar por muito tempo”, disse Macron.

Assim como muitos países europeus que, preocupados com sua segurança, anunciaram um aumento no orçamento de Defesa, a França também revisará suas necessidades em razão do conflito ucraniano. O presidente francês propõe uma "reavaliação" da lei de programação militar (LPM) 2019-2025 para "ajustar os meios às ameaças".

"Pedi ao ministro das Forças Armadas e ao Chefe do Estado Maior das Forças Armadas que pudessem realizar, nas próximas semanas, uma reavaliação dessa Lei de Programação Militar à luz do contexto geopolítico", disse o chefe de Estado.


Leia mais

Leia também:
Putin condiciona liberar exportação de cereais da Ucrânia à suspensão da entrega de armas a Kiev
Posse, restrições e produção de armas de fogo: o paradoxo europeu
Rússia destrói depósito de armas e deixa ao menos 22 feridos em raro ataque no oeste da Ucrânia

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos