França vai reembolsar compra de coletor menstrual e absorventes reutilizáveis

A compra de absorventes reutilizáveis, como roupas íntimas absorventes e coletores menstruais, realizadas em farmácia spor menores de 25 anos passará a ser reembolsada na França a partir de 2024, informou a primeira-ministra Élisabeth Borne.

Autismo: Os 9 sinais que podem indicar o transtorno na fase adulta

Aprenda exercícios: Respirar da forma correta melhora a saúde e bem-estar

— É impensável que as mulheres não possam obter a proteção de que precisam — disse Borne ao canal de televisão France 5 nesta segunda-feira, dois dias antes do Dia Internacional da Mulher.

O reembolso será feito pelo setor de Segurança Social do país e a medida será incluída no orçamento de 2024, explicou a chefe de governo. No entanto, ela não explicou como será feita essa devolução de dinheiro.

— Com este novo progresso social, intensificamos nossa luta contra a pobreza menstrual — tuitou o ministro da Saúde, François Braun.

Na França, a pobreza menstrual, ou seja, a dificuldade em obter regularmente itens de higiene para enfrentar o período menstrual por falta de dinheiro, afeta quase 4 milhões de mulheres de 18 a 50 anos, segundo uma pesquisa da OpinionWay para a associação Rules Elementary, publicada em fevereiro de 2023. De acordo com o levantamento, em dois anos o número de pessoas que menstruam nesta situação quase duplicou.

Vacinas bivalentes: A volta das fake news com a nova fase de imunização da Covid no Brasil

O estudo aponta que jovens de 18 a 24 anos são as principais afetadas pela pobreza menstrual. “Quase um em cada dois jovens franceses tem dificuldade em obter itens de proteção”, indica o documento. Entre esses jovens, 330 mil não têm acesso regular à proteção menstrual de que precisam.

Na França, desde 1º de janeiro, os preservativos são gratuitos para menores de 26 anos, assim como os anticoncepcionais de emergência para todas as mulheres, sem receita médica.