França vive último fim de semana com máscara obrigatória nos transportes

A França se prepara para virar mais uma página da pandemia de Covid-19. Na próxima segunda-feira (16), uma das últimas medidas da crise sanitária ainda em vigor deixará de ser obrigatória: o uso de máscaras nos transportes em comum.

Esse pode ser um sinal do início do fim da pandemia de Covid-19, ainda que as autoridades peçam para a população manter a vigilância. Segundo o Ministério da Saúde da França, a restrição deixará de ser obrigatória nos metrôs, ônibus, trens, aviões e táxis. No entanto, a exemplo de todos os locais fechados, a máscara continua sendo "recomendada".

Para os franceses, a decisão é a prova de uma importante melhora da situação sanitária, já que os transportes em comum são locais de grandes aglomerações, junto com os locais de trabalho, onde as contaminações mais ocorriam. A quantidade de contágios vem diminuindo nas últimas semanas, embora permaneça num patamar elevado. No país inteiro, a média de infecções é de 36 mil por dia, um número que chegou a quase 400 mil contaminações diárias em fevereiro.

Desde o final de abril, a quantidade de doentes também segue em queda nos hospitais. Atualmente, cerca de 20 mil pessoas estão hospitalizadas por Covid na França – um número ainda distante do nível mais baixo de doentes desde o início da pandemia. Antes da chegada da ômicron, no segundo semestre do ano passado, a quantidade de pacientes hospitalizados era de 6.500.

"A pandemia não terminou"


Leia mais

Leia também:
Dois anos após início da pandemia, Paris volta a ter pontos turísticos lotados de estrangeiros
Covid-19: mortes ocorreram em meio à "indiferença geral", diz cientista que orienta governo francês

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos