Frances Haugen, que denunciou o Facebook, pede renúncia de Mark Zuckerberg

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Desde o início de 2021, o Facebook tem enfrentado meses conturbados, com ocorrências como a invasão ao Capitólio, em Washington DC, e a constante desinformação sobre a vacina. Nada se compara, porém, ao que vem acontecendo nas últimas semanas.

Documentos confidenciais da companhia foram expostos e revelaram informações chocantes sobre o que a empresa pensa de usuários jovens, países em desenvolvimento e conteúdo de ódio na plataforma. Para Frances Haugen, a denunciante que forneceu o material à Security and Exchange Commission (SEC), diz que Mark Zuckerberg deve renunciar.

Para ela, apesar de todos os exercícios de relações públicas e de todas as promessas recentes de segurança, nada vai mudar se não houver uma nova liderança. “Acho pouco provável que a empresa mude se Mark Zuckerberg continuar como CEO. O Facebook seria mais forte com alguém disposto a se concentrar em segurança.”

Imagem: Reprodução/Canaltech/Captura de tela
Imagem: Reprodução/Canaltech/Captura de tela

Frances não é a primeira a desejar que ele se retire do cargo de CEO. Em 2019, vários acionistas queriam que Zuckerberg deixasse a posição. Ao longo dos anos, muitos torceram por esse resultado. Só que esse é o mundo de Zuck e nós apenas o vivemos. Na semana passada mesmo, ele anunciou a mudança da marca do Facebook para Meta e declarou que pretende construir o metaverso, um novo mundo virtual. Quem se importa com o que acontece no mundo real?

Possíveis substitutos

É difícil imaginar que Zuckerberg deixe o cargo de CEO em breve, mas, se isso acontecer, existem vários candidatos para assumir. Uma das escolhas principais é Andrew Bosworth, o executivo que criou o Feed de notícias. Ele atualmente é chefe da Reality Labs, um componente crucial na nova direção da Meta.

Outra boa opção é Sheryl Sandberg, que chegou à companhia em 2008 vinda do Google e hoje é COO da Meta. Ela tem sido essencial para manter a companhia longe de controvérsias e, paralelamente, proteger Zuckerberg. Além deles, o CMO Alex Schultz e o CPO Chris Cox podem ser alternativas interessantes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos