Francesa julgada por matar marido que a estuprava recebe pena simbólica

·1 minuto de leitura
Valérie é recebida com carinho do lado de fora do tribunal

Valérie Bacot, francesa julgada por matar o marido violento, foi condenada nesta sexta-feira a uma pena simbólica de quatro anos de prisão, um deles efetivo, mas como já havia cumprido um ano de prisão preventiva pôde deixar o tribunal em liberdade.

A corte de Saône-et-Loire foi além da clemência pedida pelo advogado geral (acusação), que reclamava uma pena de cinco anos, quatro condicionais, e classificava como vítima a mulher, que foi estuprada e obrigada a se prostituir durante anos pelo marido.

Valérie, 40, era julgada por ter matado com um tiro na cabeça Daniel Polette, 61, em março de 2016. "Foi vítima" de um marido gigolô, havia declarado o procurador, que pedia clemência para a ré. "Ela não poderia ter tirado a vida de quem a aterrorizava, mas deve-se pronunciar a condenação sem prendê-la", acrescentou, assinalando que os quatro filhos precisavam dela.

bur-fio/eg/jz/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos