Franceses correm risco no mundo todo, diz chanceler

·1 minuto de leitura
O ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian
O ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian

O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, pediu prudência aos franceses que moram no exterior, no dia seguinte ao ataque a uma igreja em Nice (sudeste) que matou três pessoas. 

"A mensagem de 'ataque urgente' foi enviada ontem à noite a todos os nossos compatriotas que vivem no exterior (...) porque a ameaça está em toda a parte", disse Le Drian após um conselho de defesa convocado pelo presidente francês, Emmanuel Macron. 

Le Drian também destacou que Paris enviou instruções a todas as embaixadas francesas para reforçar os dispositivos de segurança.

"Se passa rápido do ódio on-line para a violência real", disse o ministro.

Vamos tomar "todas as medidas" necessárias para "garantir a segurança dos nossos interesses e dos nossos compatriotas", acrescentou o chanceler francês em uma conferência de imprensa transmitida pela televisão. 

O autor do ataque é um tunisiano de 21 anos, que chegou à França em 9 de outubro, procedente da Itália. 

O ataque ocorreu em um clima de tensão diplomática com líderes políticos e religiosos de países muçulmanos e após a decapitação de um professor pelas mãos de um islâmico, há duas semanas, por ter mostrado charges do profeta Maomé em sala de aula.

O Executivo francês também decidiu elevar o nível de alerta terrorista em todo país para "urgência por atentado", o máximo da escala, prevista em caso de risco de ameaça "iminente", ou após um ataque.

meb/eg/cc/tt