Franceses vão às urnas enquanto Macron luta por maioria no Parlamento

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Michel Rose e Florent Bardos

PARIS (Reuters) - Os eleitores franceses votam neste domingo no primeiro de dois turnos que decidirão se o presidente francês, Emmanuel Macron, obtém uma maioria trabalhadora no Parlamento ou fica sem o apoio necessário para avançar em sua agenda de reformas.

Menos de dois meses após a reeleição, Macron enfrenta um forte desafio de um bloco de esquerda unido que, segundo pesquisas, pode privar o presidente de uma maioria absoluta, mesmo que não assuma o controle do Parlamento.

Membros do governo esperam um desempenho relativamente fraco no primeiro turno deste domingo para a coalizão "Ensemble", de Macron, com números recordes de abstenção.

O bloco de extrema-esquerda de Jean-Luc Melenchon espera capitalizar o descontentamento em relação ao aumento do custo de vida na França.

A capacidade de Macron de aprovar sua agenda de medidas está em risco, incluindo uma reforma previdenciária que ele diz ser essencial para restaurar as finanças públicas. Seus oponentes de esquerda pressionam para reduzir a idade de aposentadoria e lançar uma grande campanha de gastos.

(Reportagem de Michel Rose e Florent Bardos; Reportagem adicional de Elizabeth Pineau e Mathieu Rosemain)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos