Fred elege melhor parceiro de ataque, goleiro e momento que queria esquecer na carreira

Fred concedeu entrevista exclusiva para o GLOBO e, entre os vários assuntos, falou sobre os melhores companheiros e piores adversários que enfrentou. Por exemplo, questionado sobre o principal companheiro de ataque que teve ao longo da carreira, elenco vários, mas elegeu apenas um: Wellington Nem, com quem foi campeão brasileiro em 2012 pelo Fluminense.

— Já joguei com o Benzema e foi especial, o Maicon Bolt em 2009 foi muito especial, parecia que a gente tinha uma sintonia. Mas o mais legal de todos foi o Wellington Nem, por tudo que a gente conquistou aquele ano. Quando a gente entrava em campo, sabíamos que o adversário ia tomar pancada, era muito bom.

Já sobre o goleiro mais difícil de superar, se dividiu. Lembrou que Fábio "é brabo", mas já levou muito gol seu. Também fez elogios a Jefferson, ex-goleiro do Botafogo, apesar de o clube alvinegro ter sido a sua maior vítima na carreira (15 gols).

— O Fábio é brabo, já tomou muito gol meu, mas no mano a mano sempre tinha que ter muita perfeição. O Jefferson é um goleiro muito pesado também. Mas já fiz gol em todos esses caras, Casillas e tal.

Apesar de não ter sido surpreendente, o momento que Fred gostaria de apagar da memória por 7 a 1 sofrida para a Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo de 2014.

— Com certeza o 7 a 1, foi o dia mais doloroso da minha vida. O dia que eu mais senti vergonha, me senti mais impotente. Foi igual a dor de perder alguém, não queria acordar no outro dia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos