Freixo diz quem o convenceu a ser contra a legalização das drogas no Rio

Freixo sobre a legalização das drogas:
Freixo sobre a legalização das drogas: "Não acho que isso vai nos ajudar nesse momento no Brasil". (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP)

Marcelo Freixo (PSB), candidato ao governo do Rio de Janeiro, revelou durante sabatina com a Veja o motivo de seu novo posicionamento a respeito da legalização das drogas. Com a segurança pública sendo um dos temas centrais da entrevista, ele reafirmou que fará operações policiais no estado, mas defende o uso de inteligência e estratégia, além de outra política com a Polícia Militar.

"Se você entrar em qualquer lugar hoje onde tem muita droga, tem muito tiro e tem muita arma, e você conseguir ouvir as mulheres que estão ali, elas vão ser muito contundentes com você. Estou fazendo isso há dois anos, conversando efetivamente com as pessoas que estão nos lugares onde esse problema acontece", explicou o candidato do PSB.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)

A declaração inicial foi dada em agosto, no início da campanha de Freixo. "Não acho que isso vai nos ajudar nesse momento no Brasil", disse em entrevista para a TV Record. A bandeira da legalização das drogas foi pauta de agenda do ex-psolista durante anos.

"Fui convencido de que isso não diz respeito a realidade do Rio de Janeiro, isso não diz respeito a realidade das pessoas. Já tem muita droga, já tem muita arma, já tem muita morte, já tem muito tiro. É possível enfrentar o problema da violência sem isso? É", declarou, ressaltando sua agenda sobre a valorizada da polícia.

Datafolha RJ: Castro estagna em 31%; Freixo tem 27%

A pesquisa Datafolha divulgada na última quinta-feira (15) aponta que Cláudio Castro (PL), candidato à reeleição, mantêm 31% das intenções de voto para o governo do Rio de Janeiro. Castro é seguido por Marcelo Freixo, do PSB, que obteve 27% no levantamento.

Na pesquisa Datafolha anterior, do dia 1 de setembro, Castro aparecia com os mesmos 31% das intenções de voto; Freixo estava com 26%, 1 ponto a menos do que mostra a pesquisa nova.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.