Freixo e apoiadores teriam sido agredidos por grupo de deputado bolsonarista

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Marcelo Freixo é candidato ao governado do Estado do Rio de Janeiro pelo (PSB) (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP via Getty Images)
Marcelo Freixo é candidato ao governado do Estado do Rio de Janeiro pelo (PSB) (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP via Getty Images)

Pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PSB, o deputado federal Marcelo Freixo e apoiadores foram agredidos por grupo liderado por deputado bolsonarista durante manifestação na manhã deste sábado (16). O ato aconteceu na Praça Saens Pena, na Tijuca, Rio de Janeiro e reuniu cerca de 100 pessoas.

De acordo com relato da pré-candidata a deputada estadual pelo PT Elika Takimoto, o grupo, que era liderado pelo deputado estadual do Rio de Janeiro Rodrigo Amorim (PTB), chegou ao local acompanhado de seguranças, fazendo provocações. Durante a confusão, bandeiras foram rasgadas, e houve hostilidades e brigas.

De acordo com postagem no Twitter, os homens estavam armados e ameaçaram os manifestantes. No vídeo postado nas redes sociais, é possível ver Amorim cercado de outros homens e sendo questionado sobre o motivo das ofensivas: "Deputado, seu assessor acabou de agredir aqui", ponderou um manifestante. Amorim aparece caminhando e demonstra estar bastante irritado : "Cala a boca!", ele retruca.

De acordo com a candidata, Freixo se retirou do local para evitar uma confusão ainda maior. Também pré-candidato a deputado estadual, Rodrigo Mondego disse que o grupo foi a 19ª DP prestar queixa. De acordo com Mondego, houve crimes de injúria, difamação, calúnia, ameaça e de dano qualificado com emprego de violência.

"Eu e outros militantes de esquerda estávamos em uma caminhada com o Freixo na Praça Saens Pena quando fomos atacados por um grupo armado bolsonarista liderado pelo deputado Rodrigo Amorim, que nos agrediu, quebrou bandeiras e nos ameaçou. Estamos indo para a delegacia fazer o BO". O Yahoo tentou falar com Rodrigo Amorim, mas até o momento não conseguiu contato.

Amorim tem um histórico de envolvimento em brigas e confusões. Ele foi o responsável, por exemplo, por quebrar em 2018 a placa em homenagem a vereadora Marielle Franco, assassinada no mesmo ano. No mês passado, a vereadora Benny Briolly afirma ter recebido um e-mail da conta institucional do deputado que tinha como título: já estou contando as balas”. O deputado se defendeu dizendo que a confusão começou após equipe de Freixo ter ofendido ele e o presidente Jair Bolsonaro. O parlamentar ainda alegou que reside perto da Praça Sanes Peña e negou que tenha ocorrido violência física.

Esquina democrática

Já é uma tradição da esquerda fazer uma caminhada com militantes na Praça Saens Peña. Neste sábado, o evento contou com a presença do deputado Marcelo Freixo, do vereador Reimont (PT) e a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos