Freixo promete retomar territórios dominados pelo tráfico e milícias

Freixo esteve em cooperativa de catadores de lixo, na Zona Norte do Rio (MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Freixo esteve em cooperativa de catadores de lixo, na Zona Norte do Rio

(MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)

  • Marcelo Freixo (PSB) promete retomar territórios dominados pelo tráfico e por milícias;

  • Candidato ao governo quer integração entre as polícias, ações de inteligência e investimentos sociais;

  • Em visita a uma cooperativa, ele também garantiu elevar o salário mínimo regional.

O candidato ao governo do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo (PSB), prometeu nesta segunda-feira (5) retomar territórios dominados pelo tráfico e por milícias. O pessebista esteve em uma cooperativa de catadores de lixo em Maria da Graça, Zona Norte do estado.

De acordo com Freixo, é fundamental ter "uma polícia capacitada, treinada e valorizada, com tecnologia" e investir em ações integradas entre as Polícias Militar, Civil, Penal e Federal "em uma ação de inteligência e prevenção à violência". "Agora, a gente tem que estar nos lugares também onde a violência está acontecendo, onde milícia e tráfico estão dominando a vida das pessoas”, apontou. “[Temos que entrar] com investimentos sociais, disputando as vidas de cada menino e menina. E também com retomada de domínio de territórios. Isso é fundamental”.

No encontro com os trabalhadores, o candidato também garantiu, caso eleito, elevar o salário mínimo regional para acima de R$ 1,5 mil e valorizar os catadores. Segundo o atual deputado, é papel do governo articular parcerias entre as prefeituras e as cooperativas, principalmente “as chefiadas por mulheres, que são 70% da mão-de-obra”.

“Os catadores transformam o lixo, que é problema nas grandes cidades, em solução para geração de emprego e proteção ambiental. O nosso governo vai valorizar e dar apoio aos catadores através de qualificação e equipamentos para que eles possam realizar com dignidade esse trabalho que é tão importante”, concluiu.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: