Frio no Rio faz trens diminuírem a velocidade de circulação na manhã desta quinta-feira

·2 minuto de leitura

Se os recordes de frio na cidade do Rio ontem e hoje mudaram o guarda-roupa dos cariocas, também mexeu — um pouco — com a rota dos trens. Nesta manhã, foi preciso ter pé no freio nas composições da SuperVia, reduzindo a velocidade após os termômetros marcarem mínima de 8,7 graus na madrugada. O ramal Japeri sofreu impacto em mais trechos até por volta das 10h. As linhas já operam normalmente desde a manhã.

A concessionária avisou nas redes sociais sobre a redução na velocidade de parte dos trens. Os trilhos, feitos de aço, sofrem com a variação de temperatura — tanto quando está muito quente, ocorrendo a dilatação, como no frio, no que o material se contrai.

O analista de projetos Eliabe Rocha da Cruz, de 26 anos, que é passageiro regular dos trens desde 2011, se surpreendeu com o informe sobre o motivo da velocidade reduzida da composição no ramal Japeri, entre Nova Iguaçu e a Central. Quando embarcou, por volta das 7h10, não imaginava que levaria o dobro do tempo para chegar até seu destino.

— Não estava com nenhum aviso do lado de fora e nem que estava circulando de forma irregular. Quando a gente pegou o trem foi andando bem devagar até, mais ou menos, Madureira. E quando chegou na altura entre Ricardo de Albuquerque e Deodoro ficou parado um tempo e começaram a anunciar falando que estava tendo problema na linha do trem, que teve baixa velocidade e que os trilhos estavam tendo problema por causa do frio — conta. — Já vi todo tipo de coisa na linha do trem, mas de frio foi a primeira vez.

Apesar do frio nada convencional para os padrões cariocas, a circulação não precisou ser paralisada. Em nota a SuperVia explica que "um dos fatores que podem afetar a integridade dos trilhos é a variação de temperatura", gerando oscilações em seu volume. Para ter segurança durante a operação, há a redução de velocidade, mas "não afeta a circulação ou gera irregularidade nos intervalos".

Segundo o Climatempo, a previsão para esta quinta-feira é de mínima de 11 graus e máxima de 22 graus. A tendência é que a cidade não quebre novos recordes nos próximos dias, quando as temperaturas tendem a subir novamente.

Recordes na semana

A frente fria que passou pelo Rio trouxe temperaturas mais baixas e recordes para a cidade. Na madrugada desta quinta-feira, a primeira de julho, a mínima de 8,7 graus registrada na estação da Vila Militar pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) não só foi a mais baixa do ano como a menor nos últimos dez anos. Este mesmo valor foi registrado em 13 de junho de 2016, mas apenas em 2011 foi mais baixo. A tendência para a semana é que o termômetro volte a subir, mas o frio ainda continua, de acordo com o Climatempo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos