FTX diz que US$415 mi em criptomoedas foram roubadas

Por Dietrich Knauth

NOVA YORK (Reuters) - A corretora de criptomoedas em recuperação judicial FTX disse em um relatório a credores na terça-feira que cerca de 415 milhões de dólares em moedas digitais foram roubados em ataques digitais a seus sistemas.

A FTX disse que recuperou mais de 5 bilhões de dólares em criptomoedas, dinheiro e títulos líquidos, mas que déficits significativos permaneceram em suas operações internacionais de moedas digitais e nos EUA. A FTX atribuiu parte do déficit a ataques eletrônicos, dizendo que 323 milhões de dólares em criptomoedas foram hackeados das operações internacionais da empresa e 90 milhões da unidade nos EUA desde que a empresa pediu recuperação judicial em 11 de novembro.

O fundador indiciado da FTX, Sam Bankman-Fried, questionou os números divulgados pela empresa.

Bankman-Fried, que é acusado de roubar bilhões de dólares de clientes da FTX para pagar dívidas de seu fundo de hedge focado em criptomoedas, Alameda Research, disse que os advogados da companhia apresentaram um "quadro extremamente errado" das finanças da empresa.

Segundo, Bankman-Fried, a FTX tem dinheiro mais do que suficiente para pagar os clientes dos EUA, a quem ele disse que a empresa deve entre 181 milhões e 497 milhões de dólares. Bankman-Fried não tem acesso aos registros da FTX desde renunciar ao comando da corretora em novembro.

Bankman-Fried afirma que é inocente nas acusações de fraude e tem julgamento marcado para outubro.

Na terça-feira, a FTX afirmou que conseguiu recuperar 1,7 bilhão de dólares em dinheiro, 3,5 bilhões de dólares em moedas digitais líquidas e 300 milhões em títulos líquidos.

Os ativos em criptomoedas recuperados incluem 685 milhões de dólares em Solana, 529 milhões em tokens proprietários da FTX (FTT) e 268 milhões em bitcoins, com base nos preços de moedas digitais em 11 de novembro. O solana, que foi exaltado por Bankman-Fried, perdeu a maior parte de seu valor em 2022.