Fukushima recua e proibirá torcedores em eventos olímpicos

·1 minuto de leitura

TÓQUIO (Reuters) - A prefeitura de Fukushima no Japão proibirá espectadores nos eventos olímpicos que sediaria este verão devido às infecções de Covid-19, afirmou o seu governador neste sábado, recuando em uma posição anunciada dois dias antes pelos organizadores.

A decisão é outro golpe nas esperanças do Japão de usar a Olimpíada para mostrar a sua recuperação de um terremoto e um tsunami devastadores que atingiram a costa norte uma década atrás, destruindo uma usina nuclear em Fukushima no pior acidente nuclear desde Chernobyl.

Os organizadores disseram na quinta-feira que não haveria espectadores na cidade-sede Tóquio, depois de um pico de coronavírus forçar o primeiro-ministro Yoshihide Suga a declarar estado de emergência na capital até o fim dos Jogos, que já foram adiados em um ano por causa da pandemia.

Mas disseram que espectadores seriam permitidos em Fukushima e outras prefeituras fora da capital. Na sexta-feira, organizadores afirmaram que partidas de futebol no norte do Japão, na ilha de Hokkaido, seriam realizadas sem torcedores.

Fukushima, sede de sete partidas de softball e beisebol, pediu que os organizadores da Olimpíada proibissem espectadores e o pedido foi aceito, afirmou o governador Masao Uchibori.

Os organizadores afirmaram que planos para públicos restritos em Miyagi, Shizuoka e Ibaraki não haviam mudado.

(Reportagem de Makiko Yamazaki e Kiyoshi Takenaka)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos