Fumaça de queimadas na Amazônia é visível do espaço

Fumaça de queimada em RO e AM já é visível de satélite da Nasa - Foto: Nasa/Reprodução

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Partículas das queimadas já chegaram em São Paulo, a 2,2 mil km de Rondônia

  • Fumaça concentra gás prejudicial à saúde

Fotos capturadas por um satélite da Nasa mostram um corredor de fumaça sobre a Amazônia se espalhando pelo restante do Brasil. A agência espacial dos Estados Unidos confirma que a mancha acinzentada sobre o país é resultado das queimadas provocadas por fazendeiros em Rondônia, Amazonas, Pará e Mato Grosso desde o final de julho.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO FLIPBOARD

De acordo com a Nasa, nos anos anteriores o pico de queimadas acontecia no início de setembro. Neste ano, além da antecipação do período de incêndios, houve um aumento significativo no número de incêndios na região: dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) revelam que, neste ano, houve mais de 53 mil focos no Norte do país e em parte do Maranhão. Em 2018, foram 26,5 mil.

Leia também

Em Rondônia, o número de queimadas aumentou 190% desde o ano passado. Desde o início de agosto, o estado está encoberto pela fumaça que concentra monóxido de carbono (CO). Autoridades alertam para os riscos que o gás apresenta à saúde.

O estado com mais focos de incêndio florestal, no entanto, é o Mato Grosso. Desde janeiro, já foram registrados mais de 13 mil queimadas na região.

As partículas das queimadas no norte do país chegaram até a capital de São Paulo, a 2,2 mil quilômetros de Rondônia. Foi visível para a população, que viu o céu escurecer no meio da tarde da última segunda-feira (19), mas o resíduo dos incêndios também estava presente na água da chuva que caiu na cidade.