Funai proíbe viagens de servidores a terras indígenas em processo de demarcação

Daniel Biasetto

RIO - A Funai passou a proibir os deslocamentos de servidores para terras indigenas que não são homologadas ou regularizadas. No Brasil, há cerca de 700 Terras indígenas (TIs) identificadas, mas pouco mais da metade (450) estão nessa situação normalizada. A decisão pode deixar sem atendimento milhares de índios que esperam pela regularização.

Despacho assinado pela chefe de gabinete da presidência da Funai, Glécia de Jesus Tolentino, negou um pedido de viagem para Coordenação Regional de Dourados. A decisão cita memorando enviado aos servidores pelo presidente da Fundação, Marcelo Xavier, no qual proíbe as viagens para as TIs que estão em fase de estudo.