Funai vê decisão 'fantasiosa' da Justiça em suspender nomeação de chefe para índios isolados. 'Quando era Telogia da Libertação não era assim'

Daniel Biasetto

RIO - A Fundação Nacional do Índio (Funai) vai recorrer da decisão da Justiça de suspender a noemação do pastor Ricardo Lopes Dias da Coordenação de Índios Isolados e de Recente Contato. O órgão chamou de ' conclusão fantasiosa' de de que ex-missionários podem mudar a política de isolamento voluntário dos indígenas.

"A referida Coordenação foi historicamente ocupada por católicos militantes ou simpáticos à teologia da libertação. Até quando era assim, nunca houve judicialização relativa ao provimento do cargo", afirma em nota.

Em sua decisão, o desembargador federal Souza Prudente suspendeu a nomeação de Ricardo e a mudança no regimento interno da Funai que permitiu a sua nomeação, após recurso do Ministério Público Federal (MPF).

"A decisão parte da fantasiosa conclusão de que ex-missionários evangélicos, ocupando o cargo, podem mudar a política de isolamento voluntário dos indígenas menos integrados do país", critica a Funai, que diz esperar ver corrigida pelos tribunais superiore".

Há um mês, O GLOBO mostrou que o coordenador omitiu sua atuação em projetos missionários de evangelização e nada fez para impedir as frequentes denúncias de invasão de missionários religiosos em área de índios isolados.

A nomeação de