Funcionários de companhia aérea são presos por contrabandear iPhones roubados

Ramon de Souza
·1 minuto de leitura

As autoridades dos EUA estão desmascarando aquele que pode se tornar um dos maiores casos de contrabando de dispositivos eletrônicos já registrados. Após inspecionar a bagagem de funcionários da companhia aérea russa Aeroflot Airlines, os estadunidenses encontraram mais de US$ 50 milhões em produtos da Apple, incluindo iPhones, iPads e Apple Watches. O pior de tudo? Todos os gadgets teriam sido roubados.

Após constatar a gravidade da situação, o FBI, a Alfândega dos EUA e o Departamento de Polícia de Nova Iorque resolveram se envolver no incidente, emitindo mandatos de prisão de imediato para dez colaboradores da companhia e revogando o visto de trabalho de pelo mais 113 profissionais que teriam envolvimento no esquema. Oito dos principais envolvidos já estão detidos; os outros dois seguem foragidos.

Os aparelhos seriam levados ilegalmente do solo americano à Rússia, onde passariam a ser revendidos por preços bem mais baixos. As autoridades suspeitam que os criminosos façam parte de uma rede internacional de contrabando, tendo “representantes” nos dois países para facilitar o transporte irregular de produtos; porém, ainda não há qualquer pista sobre os mandantes do esquema.

“Embora as atividades desta rede de contrabando internacional demonstrem a existência de vulnerabilidades, também destaca que os esforços combinados de agentes federais, detetives, analistas e promotores são poderosos contra qualquer ameaça”, afirmou William F. Sweeney, diretor assistente do FBI. “O escritório do FBI em Nova York e nossos parceiros interagências estão de prontidão, e todos nós assumimos nossa obrigação de fazer cumprir nossas leis e proteger os Estados Unidos com seriedade”, conclui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: