Funcionários do Hospital de Campanha do Maracanã acusam OS de retirar respiradores novos para hospital de São Gonçalo

Gilberto Porcidonio, com TV Globo
Hospital de campanha montado no complexo do Maracanã, na Zona Norte do Rio, para tratar pacientes de Covid-19

Profissionais de saúde do Hospital de Campanha do Maracanã, na Zona Norte da cidade, estão acusando a OS que gere o complexo de retirar 20 respiradores do local para levar ao Hospital de Campanha de São Gonçalo, que será inaugurado no município no próximo domingo.

A medida causou surpresa aos funcionários da unidade, pois os equipamentos estariam, segundo eles, sendo usados por pacientes naquele momento. Ao RJTV 1, um dos profissionais de saúde da unidade do Maracanã disse que foram retirados tanto ventiladores que não estavam sendo usados quanto os que já estavam ventilando os pacientes, sendo substituídos por outros mais antigos que teriam recursos limitados. Alguns destes, inclusive, não estariam funcionando.

Sem se identificar, um médico também disse ao telejornal que, sem esses respiradores, não é possível continuar com o tratamento adequado e que, por isso, pacientes já estariam morrendo na unidade. "O que mais assusta é que a gente tinha os recursos até dois dias atrás, e a informação que deram pra gente foi exatamente essa de que os ventiladores novos iam ser levados pro Hospital de Campanha de São Gonçalo que vai ser inaugurado", disse o profissional da saúde, sem se identificar.

De acordo com os funcionários, o último plantão foi muito difícil porque mais pacientes chegaram ao hospital de campanha nos últimos dias. Em um grupo de profissionais de saúde no WhatsApp, um deles relatou que o último plantão noturno havia sido desesperador, pois eles tiveram que ver os pacientes irem a óbito com as mãos atadas e sem terem como recorrer. "Muito triste, só imaginava que poderia ser um familiar meu", diz um trecho da mensagem.

Os médicos também se queixam da falta de equipamentos de proteção individual e que muitos funcionários estão com salários atrasados, muitos, inclusive, prometendo que não voltarão ao trabalho na próxima segunda-feira.

A Secretaria de Estado de Saúde informou, em nota, que, caso seja comprovada alguma irregularidade, irá notificar a Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas), a OS contratada para reger os hospitais de campanha no Estado, e que tem realizado vistorias técnicas diariamente no hospital de campanha do Maracanã para reparar as falhas da gestão.

Em nota, a Iabas disse que todos os leitos de UTI do Maracanã possuem ventiladores e que a OS remaneja constantemente equipamentos, técnicos, material e medicamentos entre suas unidades, não tendo falta de ventiladores para nenhum paciente de seus hospitais. Assim, o hospital de campanha de São Gonçalo seria inaugurado conforme o cronograma entregue à SES-RJ, contando com os equipamentos necessários para atender a população.

A SES informa que o hospital de campanha do Maracanã está, no momento, equipado com 87 respiradores e conta 200 leitos abertos, com 121 pacientes internados até este sábado. Dados da OS dizem que, desde o início da operação, o hospital do Maracanã registrou cinco óbitos.