Funcionário da Apple que chamou mulheres de ‘fracas’ deixa empresa após protestos

·1 minuto de leitura
Polêmica na Apple. (Foto: AP Photo/Richard Vogel)
Polêmica na Apple. (Foto: AP Photo/Richard Vogel)
  • Engenheiro deixou a Apple depois de causar revolta na empresa.

  • Ele escreveu um livro em 2016 em que chamava mulheres de ‘fracas’.

  • Carta pedindo demissão reuniu mais de 2 mil assinaturas.

Um engenheiro da computação que trabalhava na área de desenvolvimento de ferramentas de publicidade na Apple deixou a empresa, fabricante do iPhone e do iPad, depois de protestos por ele ter expressado opiniões machistas em um livro.

Leia também:

Antonio García Martínez publicou em 2016 um livro chamado “Macacos do Caos”, em que afirma que mulheres são, em sua maioria, “fracas, mimadas e ingénuas”. As informações são do portal G1, repercutindo reportagem da agência de notícias Bloomberg.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O caso gerou revolta entre funcionários da Apple, empresa que afirma promover políticas de inclusão.

Uma carta aberta com mais de 2 mil assinaturas de funcionários da empresa expressou “indignação” com a contratação de um engenheiro com histórico abertamente sexista.

“Na Apple, nós nos esforçamos para criar um ambiente de trabalho inclusivo, onde todos sejam respeitados”, disse à Bloomberg um porta-voz da Apple. “Comportamentos que rebaixem ou discriminem as pessoas pelo que elas são não têm lugar aqui.”

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos