Funcionários da Meta criticam a empresa após serem demitidos por e-mail

Funcionários da Meta criticam a empresa após terem sido demitidos por e-mail
Funcionários da Meta criticam a empresa após terem sido demitidos por e-mail
  • Mark Zuckerberg, revelou que a Meta havia demitido mais de 11.000 trabalhadores nesta quarta-feira;

  • As demissões representaram uma redução de 13% nos quadros da empresa;

  • Zuckerberg pediu desculpas aos funcionários e admitiu que havia subestimado o quanto a receita cairia

Funcionários da Meta expressaram decepção após descobrirem que foram demitidos da empresa por email. Nesta quarta-feira (9), o CEO da Meta, Mark Zuckerberg, revelou que a companhia havia demitido mais de 11.000 trabalhadores, ou cerca de 13% de sua força de trabalho, enquanto enfrenta uma grande desaceleração em seus negócios.

“Acordei e descobri que fui demitido pela Meta/Instagram por um e-mail”, disse Carlos Giffoni , que trabalhava como gerente de produto do Instagram, segundo sua conta no LinkedIn.

“Sem aviso, e foi dito recentemente por um líder que a equipe em que trabalhei era de alta prioridade e não seria afetada. Demissões em toda a empresa por e-mail. Elegante. Acho que tenho muito tempo para escrever agora”, acrescentou Giffoni.

Madison Strickland, uma recrutadora da equipe de aprendizado de máquina da Meta, revelou que foi demitida apesar de estar grávida de oito meses.

“Infelizmente, faço parte de 11.000 funcionários da Meta que foram demitidos esta manhã. Nunca pensei que me encontraria nessa posição, especialmente duas semanas antes da minha licença de maternidade”, escreveu Strickland.

As demissões foram a maior redução de quadro de funcionários na história da Meta. Zuckerberg pediu desculpas aos funcionários e admitiu que havia subestimado o quanto a receita cairia devido à “desaceleração macroeconômica, aumento da concorrência e perda de sinal de anúncios”.

O chefe bilionário da Meta disse que os trabalhadores da “família de aplicativos” da empresa, como Instagram e WhatsApp, foram impactados, com os recrutadores “afetados desproporcionalmente” pelos cortes.

Nathan Magner, um recrutador técnico para talentos de design da Meta, também criticou o método da empresa para dar a notícia.

“#Demissões são uma merda. Descobrir que você foi demitido por e-mail é uma merda. Estou entre as 11.000 pessoas que foram demitidas da Meta esta manhã”, escreveu Magner no LinkedIn.

Os cortes de empregos aumentaram as ansiedades sobre os funcionários restantes da Meta, que temem o que vem a seguir na gigante de tecnologia em dificuldades.