Funcionários deixam Twitter após ultimato de Musk; plataforma está ameaçada

(Foto: Omar Marques/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
(Foto: Omar Marques/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

Um grande número de funcionários do Twitter anunciou através da própria rede social e do Slack da companhia que deixariam a empresa após o relógio marcar 17h (no horário de Nova York) nesta quinta (17), data limite para aceitar ou não a nova proposta do novo CEO Elon Musk.

Na quarta (16), Musk enviou um email aos funcionários restantes da companhia, cerca de 3,9 mil, dizendo que os funcionários tinham até quinta-feira para considerar se queriam permanecer e “trabalhar longas horas em alta intensidade” ou receber um pacote de indenização de três meses de pagamento.

Na ocasião, o homem mais rico do mundo alegou que qualquer um que não confirmasse que continua participando no Twitter 2.0 seria considerado desistente.

Ex-funcionários confirmaram para múltiplas publicações americanas que vários serviços críticos da plataforma ficaram sem engenheiros após a data estabelecida por Musk para que eles aceitassem as novas condições.

"Eu sei de seis sistemas críticos que não tem nenhum engenheiro restante", dise um ex-funcionário ao Washington Post. "Não existe nem o esqueleto de uma equipe cuidando do sistema. Vai seguir funcionando até que aconteça algo e aí vai parar."

"Seja qual for a decisão que você tomar, obrigado por seus esforços para tornar o Twitter um sucesso”, alegava a mensagem.

O comunicado, obtido pelo The Washington Post, dizia que "no futuro, para construir um Twitter 2.0 revolucionário e ter sucesso em um mundo cada vez mais competitivo, precisaremos ser extremamente hardcore”, disse a mensagem de Musk. “Isso significará longas horas em alta intensidade. Apenas um desempenho excepcional constituirá uma nota de aprovação.”

Ainda neste mês, o Twitter demitiu metade dos trabalhadores ao redor do mundo após ser comprado pelo CEO da Tesla. Na ocasião, Musk criticou os gastos e a cultura de trabalho do Twitter e disse que a empresa precisa de grandes cortes de custos.