Funcionários de UPA em SP são advertidos por usarem "filtro do jacaré" depois de receberem Coronavac

·2 minuto de leitura
Funcionários de UPA são repreendidos por "filtro de jacaré" em SP - Foto: Reprodução
Funcionários de UPA são repreendidos por "filtro de jacaré" em SP - Foto: Reprodução

Funcionários de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Várzea Paulista, no interior de São Paulo, foram repreendidos pela prefeitura da cidade depois de utilizarem um “filtro de jacaré” em registros do momento pós vacinação contra a Covid-19. As informações são do UOL.

Depois de receberem a primeira dose da Coronavac, alguns funcionários postaram registros utilizando o filtro, que faz referência ao episódio em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) colocou em questão a segurança dos imunizantes desenvolvidos contra a Covid-19.

Leia também

"Se você virar um jacaré, problema de você. Se você virar super-homem, se nascer barba em alguma mulher aí ou algum homem começar a falar fino, eles não vão ter nada a ver com isso", disse o presidente, na ocasião", afirmou o presidente no mês passado.

Apesar da declaração de cunho negacionista do presidente, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) já autorizou o uso de duas vacinas (Coronavac e Oxford/Astrazeneca) contra a Covid-19 no país, atestando, portanto, a eficácia dos imunizantes.

Funcionários apagaram registros

A Prefeitura de Várzea Paulista não informou quantos funcionários foram repreendidos, mas, de acordo com o UOL, ao menos dez utilizaram o filtro inusitado.

Depois de serem advertidos, os funcionários se desculparam e apagaram as postagens de seus perfis nas redes sociais. A Prefeitura da cidade também se pronunciou em seu site oficial.

Após a advertência, todos os funcionários se desculparam e apagaram as postagens de suas redes sociais.

"Alguns funcionários da UPA que trabalham no enfrentamento ao coronavírus foram vacinados nessa semana e após isso, publicaram em suas redes sociais particulares fotos de uma brincadeira que vem sendo feita em vários lugares do país. Os funcionários foram advertidos pela diretoria do ISSRV (Instituto Social Saúde Resgate à Vida), se desculparam e retiraram as postagens. A Unidade Gestora de Saúde reiterou que essas brincadeiras são desaconselhadas e aprovou a advertência dada aos trabalhadores", diz trecho da nota.